Movimentos de fluxo de materiais num armazém
Soluções ao longo do fluxo de material

Automatização inteligente para processos intralogísticos

A intralogística moderna encontra-se perante desafios crescentes: o comércio online e a produção em massa individualizada originam quantidades em permanente crescimento e obrigam a processos cada vez mais detalhados. Para responder a estas exigências, são indispensáveis processos estruturados de forma perfeita. Determinante para a concretização de um fluxo de material eficiente e ininterrupto é uma compreensão abrangente de todos os processos intralogísticos, desde a entrada à saída de mercadorias, passando pelo armazenamento e o abastecimento da produção.

A Linde Material Handling possui uma compreensão profunda de todos os processos relevantes em matéria de fluxo de materiais, assente numa experiência de longos anos em termos de hardware. Este vasto conhecimento dos processos permite-nos otimizações integrais, cuja eficácia não depende da respetiva solução de equipamento. Um fator decisivo para a conceção eficiente dos processos é uma automatização inteligente, desde cada etapa do processo até ao fluxo de materiais completo. Reunimos os requisitos necessários para tal através de um aconselhamento competente, que analisa de forma precisa o estado real no local e desenvolve uma solução personalizada com base nos componentes do sistema existentes.

Armazém ilustrado de forma esquemática com as etapas individuais do processo

Eficiência em seis passos

Uma intralogística moderna vive de fluxos de material bem estruturados e meticulosamente planeados. Por regra, o fluxo de materiais intralogístico de uma empresa inclui seis etapas separadas do processo, que oferecem diferentes possibilidades de otimização em função dos seus requisitos específicos.

1. Entrada de mercadorias

Cada fluxo de materiais interno da empresa começa com o descarregamento de produtos na entrada de mercadorias. Uma entrada de mercadorias mal planeada ou organizada pode originar falhas consideráveis no fluxo de trabalho. Na entrada de mercadorias, as mercadorias são descarregadas, verificadas, separadas, identificadas e preparadas para o subsequente transporte para um armazém intermédio ou para a produção. Tempos de processamento curtos, reduzida necessidade de espaço, recurso mínimo a colaboradores e elevada qualidade dos processos são aqui critérios de sucesso decisivos.

2. Armazenamento

O armazém é a peça central de todos os processos internos da empresa. Idealmente, aproveita ao máximo a área de armazenamento disponível e permite o armazenamento eficiente de mercadorias dos mais diversos tipos e tamanhos. As unidades de carregamento devem, então, ser transportadas de forma rápida e fiável para os locais de armazenamento ou transferência previstos. Tempos de processamento curtos, processos transparentes e um elevado grau de flexibilidade no armazenamento são características de um armazém bem organizado.

3. Abastecimento da produção

Transportar mercadorias e produtos no momento certo para o local certo é crucial para um abastecimento eficiente da produção. Automatizado ou manual, o fornecimento de material à produção, nomeadamente às linhas de montagem, pode ser efetuado através de conceitos diversificados, que se distinguem em termos de tecnologia, níveis de armazenamento ou organização de processos. Idealmente, uma movimentação de mercadorias inteligente, controlada e ininterrupta destas surge com dispêndio mínimo de energia e custos.

4. Preparação de encomendas

Processos eficientes de preparação de encomendas têm a possibilidade de melhorar de forma percetível a competitividade de uma empresa. Mercadorias e produtos devem ser reunidos de forma rápida e eficiente a partir de um determinado conjunto global e preparados para entrega dentro dos prazos. A tarefa de preparação de encomendas é transmitida ao preparador de encomendas sob a forma de listas de picking analógicas e digitais. O preparador de encomendas pode ser uma pessoa ou também um equipamento automatizado. Para aproveitar ao máximo o potencial económico da fase de preparação de encomendas, os processos de picking devem ser rápidos, precisos e rastreáveis.

5. Expedição

A expedição de mercadorias está intimamente ligada à preparação de encomendas. Os produtos e mercadorias devem ser reunidos em unidades prontas para enviar através da consolidação, por forma a que seja possível organizar da forma mais uniforme possível o armazenamento e o transporte. Surgem assim diversas possibilidades de configurar estes processos de forma mais eficiente através da automatização, reduzindo ainda os custos de transporte e de expedição. Os respetivos Warehouse Management Systems tornam todos os fluxos de mercadorias transparentes e otimizam a sua controlabilidade.

6. Saída de mercadorias

Na saída de mercadorias, as mercadorias são disponibilizadas a partir do armazém. Depois de concluídos os controlos de identidade e qualidade, as embalagens individuais são reunidas numa remessa e posicionadas nas áreas de disponibilização. Eventualmente, é também necessário integrar nas remessas mercadoria externa de conteúdo desconhecido. Mesmo os mais ínfimos erros na saída de mercadorias podem atrasar por completo as cadeias de processamento. Nesta fase, um fluxo de mercadorias rápido, bem estruturado e rastreável é decisivo.

Equipamentos automatizados no armazém

O próximo nível: Automatização

A automatização pode ser um elemento importante na otimização abrangente dos fluxos de material internos da empresa. A utilização de equipamentos automatizados é adequada, sobretudo, nos locais onde é necessário repetir permanentemente tarefas simples de transporte e armazenamento.

Síntese das suas vantagens

Fácil & flexível

As soluções de automatização podem ser instaladas com rapidez, facilmente implementadas na infraestrutura existente e adaptadas de forma flexível graças à geonavegação.

Integrável

O software estandardizado garante uma integração perfeita no sistema. Os equipamentos podem ser facilmente interligados com outras aplicações e podem alternar entre o modo de marcha manual e automático.

Adaptável

As soluções de automatização constituem um sistema integral para soluções individuais e completas e sucessivamente expansível e adaptável. Novos trajetos ou estações podem ser adicionados rapidamente.

Rentável

Uma elevada produtividade contínua, taxas de erros e de acidentes reduzidas, baixos custos de prejuízos, assim como um rápido retorno do investimento permitem uma poupança de custos eficiente.

Aplicações para soluções de automatização

Os equipamentos automatizados podem ser integrados de diversos formas no fluxo de materiais. Consoante as necessidades de utilização, assumem diferentes tarefas de transporte e asseguram um fluxo de mercadorias permanente e ininterrupto. Quer estejamos a falar de transportes do solo para o solo, do solo para a estanteria ou de tecnologia de transporte para tecnologia de transporte: com aplicações estandardizadas, as soluções automatizadas são sempre uma mais valia.

Do solo para o solo

Nas aplicações automatizadas do solo para o solo, o equipamento recolhe a unidade de carregamento do solo e pousa-a no local de destino, novamente sobre o solo. Os suportes de carga são colocados em zonas definidas para a recolha e transportados para os locais de destino estabelecidos. A vantagem das aplicações do solo para o solo é que não são necessários mais dispositivos para além de um equipamento automatizado. Daí que seja possível integrá-las em praticamente todas as fases do processo intralogístico. Podem transportar suportes de carga da entrada de mercadorias para o armazém, do armazém para a produção ou da produção para a saída de mercadorias. Sempre que for necessário ter muitos componentes disponíveis no momento certo em espaços limitados, as aplicações do solo para o solo são uma boa opção.

Exemplo de um transporte automatizado do solo para o solo

Do solo para o solo - exemplo de referência

Na Fritz Holter GmbH, um comerciante grossista austríaco dos setores sanitário e de aquecimento, encontram-se em ação na fábrica estes “dois mágicos”: Franzl e Gustl, como os colaboradores carinhosamente os batizaram. Os dois equipamentos de transporte em circulação da série L-MATIC, do fornecedor de soluções de fluxo de materiais Linde Material Handling, trabalham em dois turnos e auxiliam a equipa de preparação de encomendas no local. Premindo simplesmente um botão, o preparador de encomendas solicita-os, em caso de necessidade, para a realização de um transporte no trajeto vermelho ou verde predefinido. Franzl ou Gustl põem-se então automaticamente a caminho de um local de deposição definido de forma fixa. Para isso, percorrem o trajeto vermelho ou verde estabelecido, dia após dia, sem qualquer software complexo. Além disso, não foi necessário modificar a infraestrutura; peões e equipamentos continuam a deslocar-se nos mesmos trajetos - sem acidentes, entenda-se. Graças à utilização incansável de Franzl e Gustl, os colaboradores podem concentrar-se, cada vez mais, na preparação de encomendas, cometem muito menos erros e, em termos gerais, trabalham de forma mais eficiente. E a mercadoria chega ao local de destino pretendido como que por magia.

O L-MATIC da Linde Material Handling coloca uma palete de embalagens na estanteria.

Do solo para a tecnologia de transporte

As aplicações do solo para a tecnologia de transporte podem ser utilizadas em todas as fases do processo intralogístico. Na entrada de mercadorias, os equipamentos automatizados recolhem as unidades de carregamento do solo e transportam-nas para as respetivas áreas de armazenamento. Aí, transferem a mercadoria para a tecnologia de transporte do armazém. A este respeito, pode tratar-se de um armazém de peças completamente automatizado ou de um armazém de estanterias altas com equipamentos para corredores estreitos automatizados. Outra aplicação frequente reside na retirada da mercadoria pronta da correia transportadora, por parte dos equipamentos automatizados, após a produção. A partir desse ponto, transportam a unidade de carregamento para a paletização e o enrolamento automáticos, para o armazém ou diretamente para a saída de mercadorias, pousando-a aí sobre o solo.

Exemplo de um transporte automatizado do solo para a tecnologia de transporte

Do solo para a tecnologia de transporte - exemplo de referência

Nos armazéns grandes, as paletes carregadas têm, frequentemente, de percorrer trajetos longos para chegarem, por exemplo, do seu local de deposição à correia transportadora. Se esta operação for efetuada manualmente, ela fica muitas vezes associada a um dispêndio de tempo e a custos mais elevados. A solução, evidentemente, chama-se: automatização. Num grande fabricante de embalagens em papel do sul da Alemanha, por exemplo, equipamentos de transporte sem operador (AGV) transportam a mercadoria de forma fiável e segura, no momento certo, do seu local de chegada para o sistema de transporte adequado. O AGV deteta e posiciona a mercadoria no sistema de transporte de forma totalmente automática. Requisitos para tal são barreiras fotoelétricas simples, instaladas na tecnologia de transporte. Com a sua ajuda, o AGV consegue pousar a palete de forma completamente automática ou mesmo voltar a recolhê-la e, em seguida, transportá-la ao longo de uma rota fixa até ao seu local de destino, atravessando de novo o armazém.

O L-MATIC da Linde Material Handling coloca uma palete numa correia transportadora

De tecnologia de transporte para tecnologia de transporte

As aplicações de tecnologia de transporte para tecnologia de transporte são utilizadas, predominantemente, para transportar unidades de carregamento entre sistemas automáticos estacionários. Os equipamentos automatizados transportam, por exemplo, as peças necessárias da saída do armazém automatizado para o acesso ao abastecimento automático de uma máquina de produção. Após o processo de produção, a mercadoria é transferida de novo para o armazém automatizado ou transportada para a etapa de processamento seguinte (por exemplo, para uma máquina de envolvimento com película). Em seguida, a mercadoria passa para a expedição. Frequentemente, os equipamentos automatizados transferem as unidades de carregamento para circuitos inclinados, com o intuito de as atribuir diretamente a um terminal de distribuição ou a um determinado equipamento de entrega.

Ilustração de uma automatização de tecnologia de transporte para tecnologia de transporte

Da tecnologia de transporte para a tecnologia de transporte - exemplo de referência

Aumento da procura e duplicação dos números de produção sem modificação da infraestrutura - é aqui que entra na automatização, tal como sucede na Massilly France. O fabricante francês de materiais de embalagem procurava uma solução para empilhar automaticamente e transportar em segurança as suas mercadorias. E encontrou: um L-MATIC da Linde transporta as paletes do robô de paletização automático para a máquina de envolvimento com película automática, aguarda até as caixas de cartão estarem envolvidas e transporta-as daí para o armazém. “A solução L-MATIC da Linde é, para nós, muito interessante, pois está em permanente aperfeiçoamento e não nos obriga a modificar a nossa infraestrutura”, refere Patrice Ferrero, Gestor de Produção da Massilly France. Graças à facilidade de utilização e a carregamentos intermédios flexíveis, é possível integrar os AGV sem problemas nos processos atuais, o que permite à Massilly France ter a produção a trabalhar a alta rotação. Entretanto, estão atualmente em utilização 4 AGV; estão previstas outras ligações.

Veja aqui um vídeo da utilização!

O L-MATIC da Linde Material Handling na recolha de uma palete

Da tecnologia de transporte para a estanteria

As aplicações de tecnologia de transporte para a estanteria são frequentemente utilizadas quando é necessário um armazenamento intermédio da unidade de carregamento, para assegurar um abastecimento permanente das máquinas de produção. Equipamentos automatizados transportam as peças necessárias da estanteria do armazém intermédio para correias transportadoras a montante das máquinas de produção. Em seguida, ocorre o transporte de regresso da máquina para a estanteria. As peças são aí novamente armazenadas temporariamente, antes de deixarem o armazém. As aplicações da tecnologia de transporte para a estanteria são frequentemente utilizadas por fornecedores do setor automóvel, para abastecerem de forma precisa a produção cronometrada dos fabricantes de automóveis. Na indústria de embalagens, a mercadoria pronta é transportada da tecnologia de transporte das máquinas para a zona de expedição, onde é disponibilizada em circuitos inclinados ou estanterias para a recolha.

Exemplo de um transporte automatizado da tecnologia de transporte para a estanteria

Do solo para a estanteria

Para aplicações do solo para a estanteria existem as mais diversas possibilidades de utilização. São frequentemente utilizadas na entrada de mercadorias, para guardar a mercadoria rececionada em estanterias. Em seguida, esta pode ser transportada do armazém para locais de deposição no solo, onde é recolhida por colaboradores. As aplicações do solo para a estanteria podem ser utilizadas de forma particularmente flexível e diversificada, pois não são necessários dispositivos específicos para colocar as unidades de carregamento sobre o solo. Em alternativa, a mercadoria pode ser transportada do solo para outra estanteria, para efeitos de armazenamento intermédio. Esta possibilidade é utilizada com frequência para garantir o abastecimento atempado de máquinas de produção, mesmo quando o armazém principal se encontra longe do local de processamento.

Exemplo de um transporte automatizado do solo para a estanteria

Mais sobre as nossas soluções de intralogística e automatização

Tecnologia para a automatização

Para soluções de automatização flexíveis e adaptáveis, a Linde Material Handling oferece um vasto conjunto de equipamentos automatizados. Os empilhadores elétricos, porta-paletes e tratores de reboque da série MATIC dispõem de tecnologias inteligentes de navegação e segurança e trabalham em simultâneo com as pessoas nos espaços mais apertados.

Saiba mais

Software para intralogística e automatização

O comando digital e a interligação em rede de soluções de intralogística e automatização garantem a segurança nos processos e no trabalho em termos de fluxo de materiais. Para isso, a Linde Material Handling oferece as mais modernas soluções de software, entre as quais um Warehouse Management System adaptável e um sistema de controlo de empilhadores de utilização flexível.

Saiba mais