Empilhador diesel em armazém
6 pontos a considerar antes de comprar

Empilhador

O momento em que decide que vai assumir o investimento da compra de um empilhador é fundamental para o desenvolvimento do seu negócio, a sua rentabilidade e produtividade. E embora possa parecer a compra de mais um elemento ou ferramenta para fazer o trabalho no seu armazém, é uma decisão que deve ser cuidadosamente considerada.

Antes de tomar a decisão de comprar um ou mais empilhadores para equipar as suas instalações logísticas, deve fazer duas perguntas. E, uma vez decidido que vai fazer tal compra, terá de considerar quatro outros fatores elementares para a sua escolha.

Neste artigo vamos analisar os 6 aspetos mais importantes a considerar antes de comprar um empilhador.

Não perca também de vista a importância de avaliações posteriores. Há muitos aspetos a avaliar após a compra de um empilhador que também o ajudarão a melhorar.

Aspetos a considerar antes de comprar um empilhador

Como temos salientado, a compra de um empilhador é uma das decisões mais importantes para garantir a excelência operacional no seu armazém, tanto em termos do custo que implicará no seu investimento inicial e ao longo da sua vida útil, como em termos de benefícios, tempo, produtividade e custos.

Por conseguinte, vamos abordar, em primeiro lugar, os dois aspetos que devem começar a ser avaliados.

1. O tipo de operação que realiza

O primeiro passo, por mais óbvio que possa parecer, para tomar uma decisão tão complexa como esta, é pensar na sua operação, porque não será o mesmo se o movimento de materiais que vai fazer for ao ar livre (onde é indiferente, mas é sempre melhor usar um térmico) ou dentro de um recinto fechado (onde normalmente recomendamos um empilhador elétrico).

Também não pode descuidar fatores como o espaço que tem no seu armazém e os metros de altura de que necessitará para movimentar tais mercadorias.

Este segundo fator será decisivo, uma vez que marcará um ou outro tipo de empilhador. Terá de avaliar a sua flexibilidade ou rigidez e a capacidade da máquina para operar em áreas de difícil acesso ou corredores estreitos, onde o operador terá de fazer manobras. Cada milímetro conta.

Também é preciso ter em conta o tipo de material, o tamanho da carga que se vai movimentar e até mesmo a altura da carga.

Quanto mais exato for em termos operacionais, mais será capaz de corresponder o que procura ao que realmente precisa, evitando custos desnecessariamente elevados que não poderá aplicar na sua intralogística ou ignorar excessivamente outros aspetos que podem ser cruciais para o desempenho da sua frota.

2. Análise do empilhador que necessita

Poderá analisar os equipamentos que tem ou teve no passado. Isto ajudá-lo-á a detetar problemas que o seu empilhador não pode suportar ou, pelo contrário, a identificar os elementos de que necessita em tal equipamento porque já sabe que eles funcionam.

Relativamente a esta análise, muito centrada no objetivo do seu novo empilhador, tem de ter em conta o número de turnos e horas de trabalho de que necessitará em plena capacidade, as suas sessões de carregamento (no caso de escolher um empilhador elétrico) e o número de operadores que dispõe.

Além disso, a análise do empilhador perfeito incluirá também o reconhecimento dos custos. Deverá avaliar o custo do investimento inicial que vai fazer, a fim de ajustar estas despesas tanto quanto possível e não deixar de lado a rentabilidade da sua atividade.

Terá também um custo associado à manutenção e um seguro ou conjunto de serviços, que em alguns casos será associado à compra do empilhador e noutros será um extra a ser acrescentado. Isto dependerá do fornecedor com o qual decidir trabalhar.

Além disso, o custo que terá de assumir em possíveis reparações, uma vez que, dependendo do tipo de máquina e da empresa com a qual contrata este serviço, poderá sofrer mais ou menos avarias.

E finalmente, deve ter em conta o custo associado ao combustível ou à instalação de áreas de carga de que o empilhador necessitará, uma vez que isto o ajudará a detetar se um empilhador a diesel, a gás, elétrico ou térmico é mais conveniente para si. Em qualquer caso, é sempre melhor complementar a sua análise com o estudo energético que o fornecedor irá realizar. Não se esqueça de procurar diferentes opções e comparar.

Em seguida, na Linde recomendamos que se concentre em quatro aspetos fundamentais na escolha do empilhador. Todas eles são perfeitos para qualquer tipo de operação, pelo que não tem de equacionar se eles se aplicam ou não ao seu tipo de atividade.

Depois de ter chegado à segunda fase da decisão, analisado a sua operação e discutido os custos em que incorrerá ao adquirir um empilhador, o passo seguinte é avaliar as características inerentes ao equipamento, que a Linde recomenda que tenha em conta para que a experiência e o desempenho não diminuam.

Seguem-se assim quatro elementos fundamentais que qualquer empilhador deve ter para alcançar o mínimo de resultados:

Ergonomia

Se existe um elemento crucial na escolha de um empilhador, é a importância do condutor. É ele quem realmente vai fazer o trabalho e é necessário assegurar o conforto, a eliminação da fadiga e a segurança. Só então se conseguirá uma simbiose perfeita entre máquina e operador.

A ergonomia de um empilhador tem relação com a disposição dos seus elementos e, em última análise, com a capacidade de fornecer uma cabine de qualidade que não compromete o desempenho ou a integridade física, mas também tem em conta a capacidade do fabricante de fornecer um design espaçoso e confortável com a máxima visibilidade periférica.

O principal inconveniente da ergonomia é que ela variará de acordo com as dimensões e métodos de trabalho de cada pessoa, por isso, no final, a chave para um empilhador ergonómico é a personalização. Deve procurar uma gama flexível de empilhadores que permita uma vasta gama de possibilidades de adaptação do condutor.

Manutenção e eficiência

O sonho de todos é ter um empilhador que lhe dê o mínimo de problemas técnicos e avarias e que seja capaz de ser 100% eficiente. E embora possa parecer uma utopia, existem empilhadores que podem oferecer um desempenho muito elevado e, em troca, não necessitam de longas sessões de carga ou manutenção frequente. A escolha da solução energética certa para a sua operação aumentará a produtividade e reduzirá a sua pegada ambiental.

Se precisar de um empilhador eficiente e para poder reduzir a manutenção, procure um chassis e um design de cabine otimizados para a melhor visibilidade possível, o que também se traduzirá num local de trabalho confortável e ergonómico. Além disso, um conceito avançado de mastro para máxima segurança no manuseamento de cargas e redes digitais para fácil manutenção fará deste um empilhador que aumentará a produtividade ao seu mais alto nível.

Segurança

Estamos acostumbrados a considerar el trabajo de almacén como de alto riesgo y los accidentes en el tráfico interno son todavía cotidianos, pero eso no implica que no debamos pensar en alternativas para cambiarlo.

Estamos habituados a considerar o trabalho em armazém como sendo de alto risco e os acidentes no transporte interno ainda são uma ocorrência diária, mas isso não significa que não devamos pensar em alternativas para o corrigir.

Não se esqueça de prestar especial atenção a garantir a segurança tanto para os operadores como para os materiais.

Quando se manipulam mercadorias dentro de contentores ou camiões, seja em navios ou ao ar livre, os operadores têm muitas vezes de trabalhar em condições de pouca iluminação. É por isso que recomendamos que tenha um interesse especial em empilhadores com sistemas de segurança incorporados e soluções de aviso e iluminação que estejam à altura da tarefa.

A garantia da máxima visibilidade pode salvar vidas.

Digitalização

Finalmente, vale a pena notar um fator que ainda é prematuro para muitas marcas, mas crucial. O processo de transformação digital que está a ocorrer à escala empresarial e industrial não nos deixa escolha e empurra-nos para uma realidade interligada que também afeta as lojas.

Se procura um empilhador que tenha um bom desempenho, não faz mal conhecê-lo a cada passo do caminho.

Atualmente existem numerosos sistemas que integram soluções de software que podem ser sincronizadas com WMS e que podem dar-lhe informações em tempo real sobre o estado, funcionamento e desempenho da sua frota, por isso valoriza-a como uma obrigação, porque para estar bem preparado para os desafios do futuro, deve primeiro estar conectado.

Em suma, antes de se fazer um investimento num empilhador novo, muitos elementos devem ser tidos em conta, bem como uma análise prévia. Em alguns casos, esta análise será simples, enquanto noutros será necessário recorrer a um fornecedor de equipamento de movimentação para o ajudar a realizá-la.

Não se esqueça, a escolha certa do empilhador irá ajudá-lo a alcançar a máxima produtividade a baixo custo.