Há décadas que a Porsche Engineering desenha para a Linde Material Handling.
Signature move(s)

Ideias de design para a nova geração de empilhadores contrapesados

Há já várias décadas que o design distintivo dos empilhadores da Linde tem o cunho singular da Porsche Engineering. O mais recente marco nesta parceria progressiva: a nova geração de empilhadores contrapesados da Linde X20 – X35 e H20 – H35.

Ferramenta de trabalho ou objeto desejável? Ergonomia ou emoção? Função ou forma? Necessidade ou capricho? As decisões podem ser muito fáceis quando não precisamos de as tomar. Como é o caso da nova geração de empilhadores contrapesados da Linde, criados a partir da cooperação entre a Linde e os profissionais de design da Porsche Engineering. Os equipamentos pioneiros em muitos aspetos representam uma grande reconciliação (a vermelho) entre aparentes opostos e acontece que resolvem um outro conflito. Pois, a partir de agora, a equação X = H significa que, pela primeira vez, os empilhadores elétricos e os empilhadores com motor de combustão estão perfeitamente equiparados no que toca a potência, eficiência e robustez. Uma realidade que se espelha também no design único dos equipamentos.


Quão mais pequena a margem de manobra, maior o apelo

Uma coisa é certa: existem poucas atividades mais exigentes do que desenhar um empilhador esteticamente apelativo. Os especialistas da Porsche Engineering que o digam: “Tomemos um automóvel como comparativo: regra geral, hoje em dia consideramos atraente um automóvel largo, com uma linha de tejadilho plana e assente sobre rodas grandes. Um empilhador é praticamente o completo oposto disto”, explica o designer e chefe de equipa, Stefan Stark, que lidera a conceção de equipamentos de movimentação de cargas da Linde há mais de 20 anos na empresa de engenharia de renome mundial. Recentemente, o apelo reside precisamente no desafio de conceber um equipamento alto e estreito com rodas pequenas que seja realmente atraente. Independentemente disso, há muito que não se fica só pelas premissas “alto”, “estreito” e “rodas pequenas”. Segundo Stark: “As especificações do departamento de desenvolvimento da Linde são geralmente, já de si, muito concretas. Para os empilhadores contrapesados atuais tivemos as especificações mais rígidas de que me lembro desde que sou designer de produto para a Linde. Mas é precisamente esta criatividade no limite que acaba por ser muitas vezes o desafio mais ambicioso.”

O empilhador elétrico X25 da Linde Material Handling

Mission: possible

Faz lembrar os tão “adorados” exercícios dos exames de matemática. Os termos do enunciado: comprimento, largura, altura e raio de viragem, diversos componentes técnicos, posição do assento, do volante e do condutor, assim como um conceito modular para dois sistemas energéticos completamente diferentes (combustão e elétrico) em várias classes de peso. O que se pede: um design para ambas as variantes de acionamento que permita o maior desempenho possível, que ofereça ao pessoal operador um local de trabalho extremamente ergonómico e o conforto característico da Classe Executiva, refletindo este profissionalismo na aparência. “Admito que, com este caderno de encargos, a maioria de nós pensou logo no clássico de Hollywood – Missão impossível”, diz sorridente o designer Stefan Stark, “mas o herói acaba sempre por conseguir concretizar a missão de alguma maneira.” De modo análogo, na Porsche Engineering também nos fazemos valer de todos os truques à nossa disposição quando criamos os novos empilhadores contrapesados da Linde.

O empilhador que cresce sem ficar maior

Um dos muitos artifícios de design revela-se desde logo na parte traseira do equipamento. Aqui a grelha distintiva e o acoplamento de engate transmitem uma aparência determinada, alargam visualmente o empilhador e dão um aspeto mais estável sem que o equipamento tenha realmente ficado mais largo. “Os corredores nos pavilhões de armazenamento e de produção também não crescem”, salienta Stefan Stark. Assim, aplicou-se um princípio conhecido no mundo da moda: as riscas horizontais têm um efeito alargador. A presença imponente do equipamento é, além disso, acentuada pelos ombros largos, laterais pronunciadas e o destaque das cavas das rodas, enquanto o pilar C, de certa forma, “assenta” sobre as rodas traseiras. O retoque final é dado pela cabina visualmente deslocada para trás, dando uma aparência mais ampla ao equipamento. No design automóvel chamamos a este efeito “Dash to Axle” que corresponde a proporções geralmente associadas ao segmento “premium”. “No conjunto, conseguimos criar uma impressão de alto valor, dinamismo e segurança através de uma tridimensionalidade extrema nas superfícies. Um dos colegas da equipa chegou mesmo a reconhecer na vista traseira o olhar de marca de Clint Eastwood, um outro colega disse que lhe fazia lembrar os “Transformers”. Acho que ambos acertaram na muche”, graceja Stefan Stark.

Sou um equipamento técnico de elevado desempenho com o qual é um prazer trabalhar por longos períodos. O meu padrão é Premium. Sou um Linde.

Bem-vindo à Classe Executiva

Por fora é já algo fora do vulgar. E por dentro? Na Porsche Engineering estão particularmente orgulhosos do design de interior tão inteligente quanto bem construído, pois aqui o mote é claro: Classe Executiva. Magnificamente concretizado através de um conceito estético coerente que “integra” as utilizadoras e utilizadores no equipamento. Stefan Stark: “Em muitos modelos da concorrência, o interior é irregular e cheio de pequenos elementos desconjuntados; já connosco, tudo “flui” harmoniosamente e dá a impressão de uma peça inteiriça, do painel de instrumentos desenhado ao detalhe até ao apoio de braço, o operador é praticamente “abraçado”, sente as suas necessidades ergonómicas servidas e que tem aqui um bom e confortável posto de trabalho.” Adicionalmente tem também áreas de arrumação convenientemente posicionadas e o máximo espaço livre para as pernas e cabeça típico da Linde. “Quem trabalha oito horas ou mais numa cabina não quer estar sentado num espaço apertado como um piloto de caças”, explica Stefan Stark.

Klare Botschaft: It’s a Linde

Está claro: nem sempre são precisas ações heroicas com perigo de vida para levar a cabo missões aparentemente irresolúveis com sucesso. No caso dos novos empilhadores contrapesados da Linde, o que contou mais foi a combinação de inteligência, criatividade, experiência e colaboração produtiva. Só assim foi possível desenhar uma geração de empilhadores que envia uma mensagem muito clara: “Sou um equipamento técnico de elevado desempenho com o qual é um prazer trabalhar por longos períodos. O meu padrão é Premium. Sou um Linde.”

H25 e X25 da Linde Material Handling na pista de corrida

Equipa forte, lado a lado

Há mais de sete décadas que a Porsche se dedica à produção de carros desportivos. Mas as inovações tecnológicas com o nome Porsche remontam a um passado ainda mais distante. A 25 de abril de 1931, Ferdinand Porsche fundou e registou comercialmente o seu gabinete de projetos em Estugarda. Desde então, o nome Porsche está intimamente ligado a projetos de desenvolvimento para clientes.

Há já quase 40 anos que a Linde Material Handling e a Porsche Engineering colaboram no âmbito do design de produto dos equipamentos de movimentação de cargas da Linde, entre outros. O primeiríssimo projeto de colaboração foi o Linde H30 (série 351): um “projeto de Styling” com o objetivo de diferenciar uma máquina de trabalho tecnicamente revolucionária também do ponto de vista estético da concorrência e encetar uma nova era. Desde então, o design Porsche tornou-se uma imagem de marca multipremiada para a Linde – foram obtidos mais de 25 prémios de design desde o início da colaboração.

Saiba mais sobre a Porsche Engineering